“120 Batimentos Por Minuto”,um olhar tremendo sobre a epidemia de AIDS

França, início dos anos 1990. O grupo ativista Act Up está intensificando seus esforços para que a sociedade reconheça a importância da prevenção e do tratamento em relação a Aids, que mata cada vez mais há uma década. Recém-chegado ao grupo, Nathan (Arnaud Valois) logo fica impressionado com a dedicação de Sean (Nahuel Pérez Biscayart) junto ao grupo, apesar de seu estado de saúde delicado. Quanto menos lhe dizer do enredo, melhor será a sua experiência de visualização, você precisará ver por si mesmo como tudo se desenrola.

 

 

Este é um filme do diretor francês Robin Campillo, que anteriormente nos deu os excelentes “Meninos orientais”. Aqui ele segue uma direção muito diferente, olhando para os dias sombrios quando a AIDS estava crescendo furiosamente e pouco ou certamente nada foi suficientemente feito pelo governo (com várias facetas no então presidente Mitterrand) e pela indústria farmacêutica. Um dos pontos fortes do filme é que Campillo em várias ocasiões permite que as cenas se desenrolem sem se apressar.

 

 

Há pouca ou nenhuma música no filme, e novamente isso só resulta em um filme cada vez mais impactante (os últimos 40 min. Embalam um momento emocional). Mesmo que o personagem de Sean seja central, o filme aparece como uma peça de conjunto, com muitas performances estelares. Por último, mas certamente não menos importante, ao assistir isso, não pude deixar de pensar em outro filme sobre a AIDS há mais de 2 décadas, de Tom Hanks – protagonizou “Filadélfia”, uma “versão de Hollywood” do que a AIDS era. “BPM” sopra facilmente “Philadelphia” fora da água. Em linhas gerais: independentemente de como você se sente pessoalmente sobre a epidemia de AIDS no início dos anos 90, “BPM” traz um olhar sóbrio e é nada menos que um filme magistral.

 

 

“120 Batimentos Por Minuto” estreou no Festival de Cinema de Cannes deste ano, onde foi coberto com aclamação crítica imediata (ganhando, entre outros, o prêmio “Grand Prix” – em essência a medalha de prata em comparação com a medalha de ouro “Palm d’Or” ). Embora dada a natureza do filme, isso certamente não pode ser considerado como entretenimento escapista. Se você tiver a chance de assisti-lo, eu encorajaria você a fazê-lo.

 

 

  • Elenco: Nahuel Perez Biscayart, Arnaud Valois, Adèle Haenel
    Duração: Em breve
    Diretor: Robin Campillo
    Distribuidora: Imovision
    Gênero: Drama
    Classificação: Em breve
    Estreia: 04/01/2018Data de estreia sujeita a alteração
Compartilhar

Related posts

Leave a Comment